domingo, 11 de novembro de 2012

MÃE E.T (leia-se "extra-terrestre"), ou MÃE NORMAL?





MÃE E.T. (leia-se "extra-terrestre"), ou MÃE NORMAL?

Cada vez tenho menos paciência para centros comerciais cheios de gente e confusão, aliás, cada vez tenho menos paciência para compras com muita gente atrás de mim. Até as minhas idas ao supermercado (necessidade quase diária, dada a família numerosa que tenho... às vezes penso que o supermercado onde vou, podia quase ser apelidado de "minha despensa!!! Se calhar é por isso que algumas empregadas sorriem para mim com um ar cúmplice... acho que já me conhecem!!!.)
 Tenho duas filhas adolescentes, que ADORAM esses programas, como penso ser normal para a sua idade e às vezes, a sério que me sinto um bocadinho "culpada" por não ter paciência, por não conseguir ADORAR esses programas, como se calhar elas gostariam que eu ADORASSE! Gosto de ir às compras sozinha, com tempo, vendo, entrando e saindo à minha vontade, sem pressas, sem tempos infinitos dentro de uma loja, super climatizada (e normalmente com um ar super quente!) que me põe mal disposta, com empregadas que vêm logo ter connosco, super solícitas,  a perguntar se precisamos de ajuda, a anunciar não sei quantos descontos e promoções. Oh céus, não tenho paciência!!! Será porque estou mais velha? Talvez! Talvez sinta a necessidade de rentabilizar o tempo noutras coisas, ler um bom livro, por exemplo, é um programa supersónico para mim... eu e a leitura, sozinhos!!! Haverá melhor? Ou a beber um café, lendo a minha revista preferida? Hum!!!! Ou a ouvir música, pondo mails em dia (de trabalho, ou não...), escrevendo nos meus caderninhos pretos (companheiros de sempre nas minhas malas...), estruturando tarefas familiares, pessoais e outras... Acreditem que se rentabiliza muito tempo assim, aproveitando esses bocadinhos que parecem "mortos".
Não me sinto um ET por isto... gosto de assumir as "posturas consumistas" adequadas à minha bolsa, tenho as "coqueteries" próprias de uma mulher normal (acho eu!!!), gosto de partilhar gostos e opiniões com as minhas filhas, mas não me convidem a passar horas dentro de um centro comercial a experimentar 30 coisas, a tentar perceber como é possível que a minha filha mais velha não goste de nada que experimenta (mesmo que sejam tantas e tantas coisas... Claro que percebo, já passei pela idade dela!!!), ai não, isso não!
Sei que elas me vão arrumar muito bem nas suas cabecinhas e vão sabendo já que a mãe "alinha", desde que não se sinta pressionada, e só quando sente que será boa companhia (não será esta a base do respeito e da convivência entre as pessoas?)... às vezes, opto por ficar a comer um "llaollao" (passo a publicidade, mas que coisa maravilhosa!!!!), num cantinho, enquanto elas andam por ali, vendo, revendo e experimentando. Quando se decidem (respeitando os seus ritmos super, hiper, mega difíceis!!!!!), então aí sim, a mãe vai ver e dá opinião e ajuda e até compra, se for possível!!! 
É tudo muito mais prático assim, mais rápido, eficaz e a vida está para coisas práticas, que não compliquem! E a mãe, sim a mãe está TÃO PRESENTE nas suas vidas em tudo, em tantos momentos, em tantas decisões e opiniões, em tantas dúvidas e certezas, em tantos fellings que lhes adivinham as dúvidas, ainda antes de elas as sentirem, em tanta, tanta, tanta coisa, que acho que não fará mal se nesta área as acompanhar mais "à distância!"

E posto isto, boas compras......