terça-feira, 31 de março de 2015



DO MELHOR QUE HÁ...

Estes finais de tarde assim solarengos, com este horário primaveril que nos leva logo, em telepatia direta, para aquelas maravilhosas tardes de verão, que nos prolongam o sol na pele e a luz na alma, SÃO DO MELHOR QUE HÁ!!!
Mesmo que o dia tenha corrido rabugento, o humor tenha flutuado e alguns planos tenham saído furados, esta luz agora  redime-me de tudo e renova-me para um amanhã que está já ali ao virar das horas...
E é maravilhosa esta ideia de recomeço...




sexta-feira, 27 de março de 2015




SWEET SEVENTEEN





De vez em quando faço uns tours pelos milhares de fotos que têm e, de vez em quando, tenho agradáveis surpresas!
Hoje descobri estas todas, tiradas não sei onde e não sei quando... De facto, na era do papel, era certo e sabido que tínhamos sempre as fotos connosco e não como agora, que ficam esquecidas nos espaços virtuais que vamos tendo...
Estas, já ninguém me tira!
Estão lindas! Fizeram-me sorrir e ficar inchada de orgulho de mãe babada que sou, dos três filhos que tenho, mas sobretudo, o que me fizeram apetecer mesmo, mesmo, foi ter 17 anos outra vez... Isso é que era!!


P.S. E foi mesmo, linda... os meus melhores sorrisos começaram com vocês e tu, foste a primeira...

quinta-feira, 19 de março de 2015



MI AMOR...

E foi aqui nesta célula pequenina (onde mais tarde ainda coube o João), que a minha descoberta do verdadeiro amor começou. Acredito que isso tenha marcado um imput sério na minha personalidade, ou não acreditasse eu na importância de todas estas linguagens de amor na vida pequenina de meninos e meninas  pequeninos também. 
E tu, papy, estiveste sempre lá, forte e seguro como um farol, como já tenho falado aqui. E por isso cresci também forte e segura, pronta a ser agora eu, farol de outras e de outros.
Amo-te tanto, tanto, papy e queria tanto que estivesses aqui comigo ainda. As minhas saudades não passarão nunca e é por isso que grito para esta blogosfera infinita que foste o melhor pai do mundo e me inundaste sempre de amor!
Hoje apeteceu-me dizer isto!! 


                                                              P.s. e eras um homem lindo...
                                                 


quarta-feira, 18 de março de 2015



BICHINHO


Hoje acordei muito indisposta, com a barriga em carrossel e a casa-de-banho a servir-me de poiso constante, tal era agitação que por aqui andava. Pensei em como é impressionante este nosso corpo humano: ontem corri (quase sempre em trote), quase 7kms e senti-me bem, no final, a respiração controlada, os músculos a corresponder e uma sensação boa, de vitória. 
Tenho uma vida louca, de louca mesmo e a persistência destes hábitos que agora inicio, não é fácil: não consigo ir sempre à mesma hora, não consigo prever na véspera a hora a que poderei ir, tenho que ter um espírito prático ainda mais apurado do que o que já tenho, tenho que vestir o que está à mão, sem complicómetros vaidosos de imagem, enfim, tenho que remar contra uma maré muito cheia e muito gigantesca, às vezes... Mas tenho ido, tenho ido sempre, interiorizando que isto, mais do que uma questão de imagem, será muito mais, SEMPRE, uma questão de saúde...

Mas o que mais gosto mesmo, mesmo é quando este pingente vai comigo, porque me quer fazer companhia e porque não gosta também, de estar parado. Corre à minha frente, volta atrás, pára, recomeça, pergunta-me se estou bem, quer saber se utilizo bem os gadgets que levo. Já sabe que tenho o meu ritmo, que nisto, de correr, cada um vai ao seu compasso, mas sabe-me bem este mini atleta de 11 anos que saltita por ali.

Hoje, não poderá ir comigo, já que vou a uma hora atípica. Não faz mal, depois conto-lhe como foi. Por agora, só espero que este carrossel gástrico de hoje vá parando, para que possa ir treinar... É que, cá me parece que fui mordida pelo bichinho, o tal, das corridas...

sábado, 14 de março de 2015








ERA JÁ...


E era só mesmo isto que me apetecia, a sério... Nem precisava ser para muito longe, bastava assim sermos donos e senhores do tempo por umas horas... Já  imaginaste? Eu já e era mesmo isso...


quinta-feira, 12 de março de 2015






AMO-TE MUITO...


Tenho andado meio agoniada com uma série de pontas soltas na minha vida. Com a anestesia do dia-a-dia, a coisa vai andando ligeira, mas reconheço um certo turbilhão cá dentro. Por isso hoje, resolvi vir aqui. Imaginei-me sozinha por este sítio e não mais sosseguei até cá vir, de fugida, à hora do almoço.
Antes da azáfama, fui...
Estão 22 graus no sítio onde estou. Como é possível?
Respiro fundo. Engulo este cheiro a maresia e imprimo no cérebro esta fotografia natural, a cores e maravilhosa que aparece à minha frente.
Lembro-me do AMO-TE MUITO que lhes digo todas as noites, individualmente, sempre que lhes vou dar o último beijo de até amanhã, depois das trinta mil coisas que têm de fazer antes de se deitarem. Lembro-me do AMO-TE MUITO que não digo, porque estou cansada, stressada, desencantada, ou só preguiçosa.
Lembro-me do AMO-TE MUITO que fica a pairar em mim, de cada vez que não o digo, como se houvesse sossego só depois de ser dito à pessoa certa e também à hora certa.
Lembro-me que atrás das nuvens está sempre o sol e que não é tudo cinzento, não pode ser, há focos de luz, brilhante e luminosa, como esta hoje, desta praia perto de mim.

Dizem que a vitamina D controla cerca de 270 genes do nosso corpo. Isso não sei... eu cá sou de letras;mas que hoje a vou sugar todinha, em cada poro da minha pele, ai isso é certo.
E sabes? AMO-TE  (vos) MESMO MUITO!

quinta-feira, 5 de março de 2015



MOEDA DE CHOCOLATE



Hoje foi mais ou menos isto...



Enfiámos a moeda de chocolate na boca, com um gesto rápido, quase sorrateiro. 
-Tens o papel, tens o papel - gritei-lhe eu, já rir, tentando tapar a boca e abafar o riso, que saía espontâneo. 
Não consegui parar. A cara dele, a rapidez com que cuspiu o que tinha na boca, quase se engasgando, a sofreguidão de engolir ainda algum restinho, os olhos grandes a rir de espanto e de graça. 
Foi giro aquele momento. Senti-me bem com ele e sei que ele se sentiu (e sente) bem comigo.
Riu também comigo, com gosto. E ali ficámos, metade de um minuto os dois, agarrados à barriga, a abafar as gargalhadas que dávamos. 
Os olhos dele disseram-me tudo naqueles 30 segundos e à boleia desses olhos grandes, ganhei logo o ascendente necessário para me zangar (com sucesso), 10 minutos depois, com uma preguicite muito, muito AGUDA, que o impedia (quase!) de fazer o que quer que fosse. E lá vou gerindo o que lhe proponho, tentando sempre menorizar-lhe as dificuldades e equilibrar isso com a eficácia (possível) no desempenho.

Quando penso, às vezes, no que ando aqui a fazer, são momentos destes, lambuzados de chocolate, que me vão mostrando o caminho...
Ufa! Ainda bem que os ascendentes se conquistam e não acontecem por decreto. É que nesta conquista, tenho-me safado muito bem. 
Não será isto o principal?


domingo, 1 de março de 2015





Também te amo nestes dias...

Vou ali tratar da neura um bocadinho e já volto.  É que há dias assim.
Sei que passa, é o que vale... 






BOLHA (Arejada de conforto emocional...) E quando o dia foi hiper cansativo e sentimos que isso, mais o calor insuportável ...