terça-feira, 30 de setembro de 2014




MÃE CHATA


Hora de ponta cá em casa...
-Quem foi a última pessoa a tomar banho? Já viste como ficou a casa-de-banho? E as toalhas, não se penduram? Opá, é sempre a mesma coisa, bolas! 
E lá vai, mesmo pendurar as toalhas, já que não deixo escapar o deslize e deixa o espaço como o encontrou, pois claro, era o que faltava!
Às vezes acho que sou uma mãe muito mais chata que todas as outras que conheço, sou a que grita mais quando se zanga, a que gesticula sem fim, a que não lhes admite abébias malcriadas e aquela que não se compadece com preguiças laivosas que lhes dão o pior dos ingredientes: a inércia. Têm tarefas a cumprir sim senhora e controlo isso com olho de lince, não me compadecendo com o JÁ VOU, constante. Afinal, vivemos 5 cá em casa e não é justo que sejam só a mãe e o pai a arcar com as (horríveis) lides domésticas!
E quem fala em tarefas domésticas, fala na forma como respondem, como falam. Não lhes admito, JAMAIS, faltas de respeito, gestos, ou atitudes pouco corteses, faltas de atenção para com os mais velhos, sejam eles pais, avós, ou professores. Arrepio-me quando vejo aqueles aborrescentes (leia-se, ADOLESCENTES) armados em carapaus, a responderem à mãe, ou pai, ou avós, com aquela insolência insuportável que, ainda por cima, algumas mãezinhas desculpabilizam, com a conversa de que ai este miúdo (a), tem cá uma personalidade!!
Pois... não é fácil isto... é cansativo, irritante, faz-me vestir uma personagem que nem sempre gosto de ser e, confesso que às vezes, me apetece desistir, deixá-los fazer como querem, deixá-los ter tudo a acumular na desordem e desarrumação, fingir que não vejo e a seguir ir eu fazer... É tentadora, esta parte! Mas não, mil vezes não! Há coisas que são mais fortes que eu e pronto!
E se no futuro, já donos das suas próprias vidas (como se deseja), forem autónomos para as gerir, forem corteses e educados com os outros e souberem encarar as tarefas de uma casa como uma coisa natural e decorrente do dia-a-dia, organizando-as sem dramas e sem dependências excessivas de terceiros, então será sinal de que não foi em vão o meu/nosso esforço.
Sou uma mãe chata às vezes, eu sei, mas pronto, desculpem lá, pode ser que no futuro, ainda me agradeçam... seria bom!!


( A ti desculpo Mafaldinha, mas só porque és tu, ouviste?)

PARIS ( Post escrito na última noite em Paris) Estamos a deixar Paris. Esta é a nossa última noite nesta cidade maravilhosa. Já cá t...