quinta-feira, 11 de setembro de 2014



ESPONJA


Sempre fui enérgica e determinada,(Sofia, Sofia, somos tão parecidas!!!) com um quê de pieguice, ou romantismo, diria hoje, que sou adulta. Sou pelos afetos e sempre serei, quem me conhece sabe disso e preciso de me envolver com as coisas, para que elas façam sentido. Quero conhecê-las, descobri-las, aprendê-las e trazê-las para a minha realidade, para os meus olhos, ouvidos e sentidos. Assim, vão-se tornando conhecidas e mais bonitas, às vezes, com aquela beleza que o conhecimento sempre traz...

Depois de mergulhar de cabeça nestas tais coisas, fico lá dentro, inteirinha e deixo o envolvimento começar. Não leva muito tempo, isto... tem a rapidez dos amores que começam... e é este mergulho que sinto estar a dar, navegando num mar completamente novo de siglas, termos, nomenclaturas, leis, decretos e normas. Pergunto, avanço, recuo, calo, observo, escuto, exercito a humildade, a atenção e a espera. Engulo certezas de quem julgava saber quase tudo e deparo-me com a certeza de não saber quase nada. Treino a simpatia e a disponibilidade e mesclo isso com a segurança de ideais e a experiência no ensino, que me dão, seguramente, alguma desenvoltura. Observo os desempenhos à minha volta e reconheço méritos e competências, revejo-me em certos estilos e disponho-me a absorver, absorver, absorver, tornando esta numa palavra de ordem imperiosa. Guardo logo a seguir este conhecimento todo num cantinho do meu cérebro e dou-lhe ordem para que aí fique, até à resolução natural de o fazer avançar e misturar-se com o dia-a-dia, as decisões e as maneiras de proceder.
É mais ou menos assim que me sinto desde ontem, nesta nova etapa profissional de que já falei aqui, de forma inverosímil, como uma esponja que tenho na casa-de-banho... super absorvente e exfoliante. Sei que rapidamente, vou querer exfoliar o que não interessa e reter o resto, impregnando-me de novos cheiros e ares...
O final não sei como será, mas para já, parece-me que cheira MUITO BEM!!!