terça-feira, 28 de março de 2017





COM-PLE-TA-MEN-TE 


Hoje dizia a alguém que às vezes me esqueço que já não tenho 20 anos... Ah, pois é, não tenho já, já tenho mais do dobro que isso, céus! E se isso não me afeta diariamente, vai moendo em algumas coisinhas sim, que não sou diferente dos outros.
E de feitizinho refinado e aguçado em períodos de pontade stress acrescido e emoções (e cansaço!) à flor da pele, ainda bem que estás lá tu sempre e te sinto na minha vida e na minha casa, no meu espaço e na minha intimidade, mesmo quando estou intratável, que sim, não sou diferente dos outros e a casa será sempre o palco onde somos o melhor e pior de nós mesmos.
Ainda bem que, mesmo no pior de mim mesma, ainda me puxas para ti e me fazes sentir que sou única. Acho que gostar é isso. Ter essa capacidade e provocar no outro esse efeito que nos puxa para o equilíbrio e nos faz avançar e/ou retroceder em exercícios de auto-regulação que nos ajudam a não ficarmos COM-PLE-TA-MEN-TE insuportáveis!
Não vou ficar COM-PLE-TA-MEN-TE insuportável, prometo... acho que os meus mecanismos de auto-regulação ainda vão funcionando, sinto-os, à distância sim, assoberbados de coisas por cima deles, mas sinto que funcionam, mas obrigada na mesma, no fundo, por estares sempre aí, assim como és e por gostares de mim, mesmo quando estou intratável...
Acho que hoje, era isto!
LUV U!