sexta-feira, 10 de março de 2017






É OFICIAL





Lembro-me do dia em que tirei esta foto. Um domingo perdido, numa esplanada por montar, simples, numa (na nossa) praia de eleição. Sem muita gente à volta, sem grandes confusões. Estavas comigo, acompanhando a calmaria da manhã, transformando um NADA DE ESPECIAL, num TUDO tão grande. É sempre assim contigo. Mesmo quando não me apercebo... estás lá, comigo e gosto da tua companhia, do teu complemento, do efeito que tens em mim, como uma peça de puzzle que se encaixa na outra de forma simples e eficaz. Sem alarido.
Cada vez é mais difícil arrastarem-me para certos sítios, para fazer certas coisas. Cada vez reajo pior ao barulho, à confusão. Cada vez gosto mais da calma de um bom livro, filme, ou série. Sei que tanto da minha vida ainda é confusão, pressa, barulho, agitação. Reconheço que consigo funcionar com essa pressão, é verdade, funciono de forma rápida e (às vezes) eficiente, mas por isso também preciso cada vez mais e com mais frequência destes espaços e destes silêncios, comigo, com livros ou filmes, ou com nada, só porque sim. E adoro quando estás nesses momentos comigo, partilhando um silêncio que preenche o que não precisa de se dizer e, por isso, é cúmplice.

É oficial: acho que me estou a transformar num bicho-do-mato. O que vale é que continuas por aí... comigo, nesta cumplicidade que não troco de tão boa que é, como se o mundo, às vezes, ficasse ali ao nosso lado, em stand by...!
LUV U!





BOLHA (Arejada de conforto emocional...) E quando o dia foi hiper cansativo e sentimos que isso, mais o calor insuportável ...