domingo, 26 de outubro de 2014




MEA CULPA


Às vezes sinto que sou insuportável, grito, barafusto, implico... pois! Há contrariedades que vão aparecendo assim, comezinhas e menores perante grandes coisas, eu sei, mas que me fazem passar da rosca muitas vezes. Disparo depois em todas as direções e provoco outras tantas vezes, alguns danos colaterais, também sei... Mas acredito que o amor de se viver junto todos os dias, de se conhecer o outro e de se resistir ao que é menos bom, nos vai valendo, equilibrando este saldo para outros dias em que esta história se repete do outro lado que não o nosso. 
Cá por mim, sei que faço lembrar, às vezes e de certeza, aquelas velhas panelas de pressão (tinha uma assim...) que apitavam, apitavam, prestes a largarem o ar, que saía depois, a eito, num longo e prolongado apito que espirrava tudo à volta. Era chatinha de usar, a dita panela, mas cozia tudo lindamente e de forma ultra rápida!  O que vai valendo é que ISTO me passa também logo a seguir, com um efeito tipo borracha que não deixa marcas e esvazio toda a pressão em minutos rápidos. A malta cá de casa já sabe como sou e eu, secretamente, alivio-me um bocadinho com essa certeza!
Pois!! Há dias assim, mas depois caem-nos no colo exemplos destes e vemos, de imediato, que temos tanto a aprender!!
Eu, por mim falo, mas ainda repito a mea culpa que vou sentindo, depois de ler hoje, esta história de vida... 
Repito: tanto ainda a aprender...