quinta-feira, 15 de janeiro de 2015




FOGUETE, FOGUETE

(Às vezes viajamos de foguete para sítios maravilhosos...)

Estava particularmente cansada. O fim do dia arrastava-se sem fim e eu, só de pensar no que ainda tinha de fazer, arrepiava-me. Oh santas tarefas domésticas, que lindas sois!
-Eh pá, nem descongelei nada, se calhar tiro aquela embalagem com os peitos de frango e já invento qualquer coisa, que hoje nem inspiração tenho...
-Deixa mummy, que eu trato de tudo. -O ar foi desinteressado e fugidio para outra coisa qualquer que lhe estava a tomar a atenção, mas registei o dito como promessa inviolável.
Confesso, no entanto, que o meu cansaço nem me fez responder-lhe. Tomei como certo que me chamaria e tornaria a chamar, vezes sem fim. - O melhor é deixá-la, até me vai saber bem. Lembrei-me de mim própria aos 14 anos: Igual: voluntariosa, despachada, prática, desembaraçada na cozinha... Enfiei-me dentro das rotinas mortiças de final de dia e, ao longe, ouvia a música. Fui espreitá-la: som ligado, avental posto, ingredientes espalhados pela bancada, em modo-laboratório, porta fechada. Num piscar de olhos, fez um opíparo jantar, mesa posta, acompanhamentos diversos, loiça atrasada lavada e um P'RA MESA (!!) que me fez lembrar alguém... Foguete, foguete, foi do que me lembrei!
Sorri sozinha... ao fundo da sala, dentro do quarto, outro registo diferente, MARAVILHOSO, organizativo e calmo me passava à frente dos olhos: fichas de trabalho e matéria a ser revista, portefólios a organizar, documentos a selecionar. Tudo com rigor, sem música, com sossego, com método, responsabilidade e brio. Sorri para dentro outra vez! 

O jantar soube-me maravilhosamente, estava bom a sério e enquanto ríamos e falávamos todos, nem sempre de forma calma, mais vezes sim, em modo-agitado-tipo-família-de-malucos-mas-que-se-ama-muitopensava na diversidade maravilhosa que tenho em casa e na diferença tão marcada que tenho impressa nas minhas filhas. UM (a) DOCE E UM (a) AGRIDOCE ao vivo e a cores, mesmo e o melhor de tudo é que ainda tenho um terceiro filho que me faz aumentar esta paleta de sabores e cores, todas diferentes, mas todas maravilhosas!
Bolas, isto há coisas mesmo fixes!



PARIS ( Post escrito na última noite em Paris) Estamos a deixar Paris. Esta é a nossa última noite nesta cidade maravilhosa. Já cá t...