domingo, 11 de maio de 2014




BINGO


Quando tenho que comprar coisas para mim, nunca gostei de ir acompanhada. Gosto de ver, de experimentar, de provar, pôr, tirar, imaginar, sozinha, sendo eu a gerir o meu tempo, o meu orçamento, a equação de todas as variáveis de circunstância, tempo e modo que andam à volta de uma compra para a minha pessoa.
Para além disso, o orçamento é cada vez mais curto, que este País está assim, deste modo  a assassinar a classe média e a falta de paciência para andar de loja em loja, mantém-se, com uma firmeza que parece estar mais sólida ainda, com a idade. Cada vez mais tenho sítios de eleição e estilos de eleição e então, sabendo exatamente onde hei-de-ir, poupo imenso tempo e dissabores relativos aos tamanhos que nunca há e aos estilos que nunca são bem os meus.
Hoje, a compra seria circunstancial, precisa e imperiosamente, rápida, devido às logísticas que se seguiam neste domingo de sol!
-Opá, não vamos ter tempo, mas tem que ser agora mesmo, senão depois já não dá, com as milhentas coisas que ainda tenho para fazer hoje!
-Eu vou contigo, mummy...
Não me pareceu boa ideia! Ir às compras acompanhada de uma das filhas e ter que gerir opiniões e gostos diferentes do meu, ainda por cima com tão pouco tempo e sem muita paciência... mas lá cedi. Lembrei-me de um dos primeiros posts deste blog e resolvi contrariar essa tendência! (http://agridoceedoce.blogspot.pt/2012/11/mae-et-leia-se-extra-terrestre-ou-mae.html)
-Então temos que ser rápidas, eu sei exactamente o que quero, é assim e assim e assado e cozido e frito... Nem vale a pena andarmos de loja em loja, vamos àquela só e pronto, despachamo-nos logo!

Não vi logo o que queria e já estava a impacientar-me, com duas ou três tentativas frustradas de despachar o assunto. Ela pairou por ali comigo, viu, por alto as coisas, foi-me ouvindo, com um certo distanciamento e depois apontou para um sítio específico.  - Oh mãe, é isto! É exatamente como gostas e é o mais giro da loja, vais ver que te fica bem, tem aquele pormenor que estavas a dizer, não vale a pensa experimentares mais nada, vais ver.
À vista, na mão, não me parecia nada de especial, mas achei piada ao ar decidido. Entrei no provador e BINGO, impecável! Parecia uma coisa feita para mim e estava dentro de todos os parâmetros (preço, estilo, cor) que eu queria.
-Eu não te disse, mummy? Mais rápido era impossível... 
Seguiu com o inseparável telemóvel na mão, o mesmo ar decidido, despreocupado e seguro de si. Enquanto me dirigia à caixa, fiquei a olhá-la.
-De facto, princesa, - pensei -  és igualzinha ao teu pai, da pontinha do dedo do pé, até à pontinha do cabelo, mas hoje, nesta loja, de modo apressado, decidido e desempoeirado, com uma segurança desconcertante, foi a mim própria que vi...
E pensei que, pronto, esta, às vezes, poderá vir comigo às compras...