quarta-feira, 13 de abril de 2016




FAZER AMOR






E é verdade. Fiquei/estou ainda deslumbrada com a última publicação do Papa Francisco. É o livro "A alegria do amor" (Amoris Laetitia), a propósito da reflexão que fez sobre a família, após o sínodo sobre o mesmo tema. Não me vou deter aqui acerca do livro, das considerações que tece, das coisas que defende. Isso é sempre uma viagem pessoal e única de cada leitor, com cada livro que escolhe, numa liberdade absoluta que dá à leitura aquilo de maravilhoso que tem, como exercício livre que é.
Mas para mim, que maravilha! Todo o livro, página a página e, sobretudo, os capítulos IV e V, verdadeiros hinos ao amor humano.
E foi num desses capítulos que fez referência a um poeta uruguaio, de nome Mario Benedetti e especificamente ao poema "Te quiero". Fui logo à procura do dito e encontrei um série de outras frases, poemas e pensamentos do autor.
Encontrei esta frase que ponho na foto. E sim, identifiquei-me de imediato. Não se faz amor só de uma forma. Faz-se amor de tantas formas e tantas vezes e só com essas todas, se chega à plenitude de cada uma delas.
Achei que a combinação da foto com a frase poderia resultar assim. Uma praia de eleição, que é a nossa, um olhar fixado num horizonte e um pensamento, quem sabe para as coisas pequeninas da vida, que, todos os dias, se quisermos, nos podem deixar fazer amor um com o outro.

Não é lindo? Eu avisei...


  LEITE DERRAMADO Já estou submersa, naquela fase do meu trabalho em que só vejo papéis à minha volta e em que sinto que tenho ...