quarta-feira, 20 de janeiro de 2016





PAIXÃO # AMOR
AMOR# PAIXÃO
(Quem disse que onde há um não há o outro?)




O amor lava e cozinha... pois... não passa, permanece colado a nós, apesar das coisas chatas que temos que fazer todos os dias e nos desgastam sem fim (como o lavar e cozinhar). 
O amor lava e cozinha, porque persiste, mesmo com o passar dos dias e mesmo com o peso que esses dias podem trazer, carregados, às vezes, de azedumes, mágoas, pressas e zangas.
O amor lava e cozinha,  porque se afirma, teimoso, à espreita de mim e de ti e do projeto que abraçámos. É como se não quisesse ser só fugaz, efémero, ardente, fácil e de pouca dura. O amor lava e cozinha, porque é tão certo como o outro lavar e cozinhar de todos os dias.
Foi este o sentido que dei a esta frase. Quando olhei para ela lembrei-me de nós. Um amor tão antigo já, tão certo na minha vida e tão persistente. Um amor que tem passado neste teste do desgaste dos dias, dos anos. Acredito mesmo que isto é um teste e que muitos reprovam, assim como sei que muitos passam.

Não sou imune ao tempo, à canseira, ao desalento e desencanto, às voltas próprias que a vida nos dá, mas sei que um amor verdadeiro tem que passar para além da paixão só. Esta, é mais imediata, fácil, muito mais fácil, mas se, coitada, não der lugar depois ao amor, então passou mesmo, evaporou-se, foi-se, intensa e rápida como uma brisa, que nos perturbou encantadoramente, mas que não ficou
E o maravilhoso é quando, depois de ela passar por nós nos deixa o amor e aí depois, nele, tão verdadeiro e tão disposto a arriscar, quem disse que não cabe a paixão? Ah isso agora...