segunda-feira, 25 de janeiro de 2016





COM FERVOR


E pela primeira vez, foi connosco votar, ontem. Afinal, o estatuto de maioridade confere direitos e deveres, ou, prefiro inverter a ordem, DEVERES e só depois direitos, não será?
Não sei se sentiu alguma espécie de euforiazinha, de vaidade pelo estatuto que a maioridade dá, de orgulho por poder expressar OFICIALMENTE uma opinião, qualquer que ela seja. Não sei, não lhe perguntei, mas posso adivinhar...
Quanto a mim, não me inibi de enaltecer o momento, quanto mais não seja por respeito a quem nos precedeu e que tanto lutou por isto, quanto mais não seja por não nos anularmos, pela luta de tantos antes de nós, pela conquista da história, pelas mulheres, sim, - porque se tivesses nascido há um século atrás, nem poderias estar a votar- , pela democracia, pelo acesso que TODOS temos à escolha, à opção.

Sim!! Fui uma mãe completamente fervorosa na defesa do civismo nesta história de direitos e de deveres. Afinal, há verdades inalienáveis, ou não será?
E não dizem que é também assim que as mensagens passam? Também acho... É que há direitos que nos dão DEVERES muito sérios e isso vou dizer-lhes sempre. Com fervor!