sexta-feira, 6 de novembro de 2015




LUNCH DATE


Há sim coisas que ficam por dizer, escondidas atrás da pressa dos dias. Há sim coisas que aguardam dias bons e melhores momentos para serem ditas. Há sim coisas que cedem ao sono e ao cansaço e às urgências sentidas do diálogo. Há sim coisas que, se quisermos, são esquecidas sem dó ou piedade. Porque a vida corre, porque nela somos levados, se deixarmos...
Mas como as prioridades na nossa vida somos nós que as fazemos e as urgências somos nós que as definimos, não as queremos mesmo esquecer e continuam vivas e límpidas cá dentro do nosso cérebro e pensamento. Depois, é só priorizarmos o dia bom e o momento certo para as dizer. Pormos isso na agenda, como aquelas marcações importantes que não podemos (nem queremos) esquecer. 
E é por isso que resulta. É por isso que não nos anulamos ou desviamos do essencial. E é por isso que o equilíbrio se vai mantendo, mesmo ao fim destes anos todos. E é por isso que te descubro sempre. E gosto de cada pedacinho.
Fogo, adoro os nossos almoços...