segunda-feira, 27 de julho de 2015

 
 
 
 
O TUTANO DA COISA...
 
 
Há algum tempo enviaram-me um mail que andava girando pela Net, com um artigo chamado "Teremos sempre Nova Iorque".
Escrevi um post depois de o ler. Foi assim um click inspirador, como alguns outros, que às vezes, me caem no colo.
 
Acredito que sim, que somos nós que fazemos os lugares, e que o nosso estado de espírito quando deles usufruímos, ditará para sempre o tutano que lhes tiramos, como se o chupar até ao âmago da essência da coisa nos desse dele, do lugar, tudo o que tem de bom. Aí, nesses lugares, somos nós próprios, mais autênticos, mais felizes, mais soltos, mais leves, mais animados, quase sempre... Desses lugares, fica-nos num cantinho da memória e da mente, um suave print, como que tatuado...
 O post da Marta, no seu blog que sigo com TANTO prazer, fez-me ver que há outros que também pensam assim.
Às vezes imagino-me a ir a sítios onde ainda não fui, explorar novas cidades, novas experiências, ver coisas diferentes, ter coisas novas e excitantes para contar. Pois é, deve ser giro isso também, mas confesso que cada vez mais me surge como tentadora, a sensação de quietude, rotina, calma e tranquilidade que os lugares que já elegi como MEUS me dão, como se nada pudesse competir com essa avassaladora sensação de felicidade, pessoal, ou a dois, ou a três, ou a cinco. É sempre assim aqui..., ou aqui..., ou ainda aqui...
Sim, porque afinal, no mais fundo de mim, é assim que sou mais feliz... contigo, convosco, juntos.
E no fundo, teremos sempre a (s) nossa (s) Nova Iorque (s), porque a outra, a verdadeira, não foge, acho eu e pode esperar...
 
 
Boas férias!!