quinta-feira, 21 de maio de 2015




RÔR DE ANOS


-Há quantos anos?
-Sei lá, 15,18, 20... mais... já perdi a conta...
-E não te fartas?
-Não, já viste? Isso é que é um fenómeno... Serei alienada?

Sou um bocado alienada em muitas coisas sim, tenho consciência disso e sou um bocadinho extraterrestre também, fujo a regras tão vigentes e tão comuns que vão imperando por aí à nossa volta. 
Mas pronto, é assim e tu fazes parte desta minha parte alienígena. Seremos os dois ET's, portanto...

Estou contigo há tanto, tanto tempo, que te descubro no silêncio, te sei de cor, calado e quieto, te decifro olhares, expressões, gestos e respiração. Não precisas de traduzir isso, nem de arranjar pausas na pressa dos dias. Sei-te e pronto e adoro!
E por isso decifro tudo isso por que vais passando por estes dias, tudo isso que vai estando por aí, escondido ao fundo da pressa e das coisas. Não precisas de dizer, porque quase sempre o silêncio também fala. 
Acho que a isto se chamará CUMPLICIDADE, aquela coisa que traduz silêncios e une sempre... 
E mesmo com a pressa dos dias, com a correria, com o cansaço, mesmo com a rotina e com todas aquelas coisas que nos atingem como homem e mulher normais que somos, sinto que esse é o nosso maior tesouro. E sei que atrás desse, vêm outros, isso é certo.
Será por isso, o rôr de anos?



P.S. Esta foto não foi por acaso e tu sabes porquê...


BOLHA (Arejada de conforto emocional...) E quando o dia foi hiper cansativo e sentimos que isso, mais o calor insuportável ...