sexta-feira, 15 de maio de 2015





ARTE MARCIAL



Diazinho interminável! Jesus, que não acabava mesmo: trabalho, trabalho, trabalho, logísticas e filhos e outras logísticas e outra vez filhos, marido off noutros assuntos que surgiram e absolutamente do seu pelouro, como mecânicos e afins, uma reunião interminável ao fim da tarde, daquelas assim simplesmente horríveis, miúdos em casa, jantar combinado por telefone, sobrou isto do almoço, acrescentem aquilo, não esperem por nós, estamos ambos atrasados (...), gestão por telefone de assuntos para amanhã (VÁRIOS), espera interminável (e insuportável) na terceira farmácia a que fui, já que as duas primeiras não tinham o que precisava, enfim... engoli qualquer coisa quando cheguei, meti-me debaixo do duche e vim acabar a catarse, aqui, que esta coisa da escrita vai tendo este efeito em mim... 
Sinto-me um bocado ninja, a sério...

Uma das várias mensagens trocadas com a minha filha mais velha, enquanto esperava na farmácia foi esta:


E isso fez-me pensar: não morremos não, querida, acredita... acho que somos (as mulheres) abençoadas com um cromossoma X maravilhoso que nos dá assim esta arte marcial da multiplicação de tempo e da gestão mais ou menos maravilhosa e eficaz que fazemos dele.
Por isso é que é quase meia-noite e ainda aqui estamos as duas: eu a descontrair, finalmente em sossego, desta minha forma e tu a falares em paradigmas e nas respostas que os filósofos dão aos problemas levantados pela ciência.
E pronto, é isto... Os homens são maravilhosos, a sério, adoro-os, mas a Natureza, é feminina, acho, eh, eh.... E olha, eu, ao contrário de ti, que és das Ciências, adorava Filosofia.