terça-feira, 7 de janeiro de 2014


TIA BABADA


Há coisas que são clássicos e, como tal, têm uma beleza que nos leva a fazê-las, vê-las, repeti-las vezes sem conta, sempre como se fosse a primeira vez, não nos cansando, porque têm sempre uma magia diferente, uma aplicação e resultados diferentes, uma inovação que as faz parecer novas e exuberantes, sempre! É um pouco como aqueles filmes muito antigos, valiosos e encantadores de tardes de domingo e serões sem fim...

No meu trabalho também é assim: há imensos temas que se repetem infinitamente, mas dos quais nunca nos fartamos, porque temos sempre palcos e cenários e atores e atrizes e figurantes e adereços e tempos e espaços, diferentes de cada vez. Para além disso, quando se lida com meninos e meninas pequenos, tem-se a grandessíssima sorte de se poder inovar com muito pouco, tornando novas e muito novas, coisas que poderiam ser velhas e muito velhas. Por isso, essas coisas clássicas e corriqueiras, terão sempre um sabor novo e resultados inesperados e isto é mesmo verdade!

É assim com esta atividade que inventei um dia e que resulta do dia de reis. E se fossemos um Rei? O que faríamos?
Apelo à criatividade, à imaginação, à saída da nossa zona real, à viagem para outros mundos, outras zonas que são do faz-de-conta e de mais ninguém, mas que nos fazem sorrir, até brincar de tão imaginárias que são... tudo isso poderia ser realçado (como já fiz aqui http://agridoceedoce.blogspot.pt/2013/01/se-eu-fosse-um-rei-o-voltar-deliciosa.html#links...) aquando da alusão a esta atividade que é tão rica, mas não me vou repetir.

Hoje, só me apetece dizer que sim, que me sinto REI de vez em quando (mesmo quando não digo a ninguém e mesmo quando estou zangada) e que gosto, às vezes, de imaginar outros mundos, outros desejos, outras coisas e que me rio quando imagino isso e que gosto de dizer isto aos meus meninos e meninas e que gosto de propor isto aos pais e às mães dos meus meninos e meninas e que do pouco se pode fazer tanto e que podemos brincar com esse TANTO e que hoje o meu coração não cabe cá dentro do peito porque me nasceu outro sobrinho e que esse sim, é um REIZINHO verdadeiro, para os seus papás e para mim e isto, é o mais importante...
SE EU FOSSE UM REI, DECRETAVA-LHE TODAS AS FELICIDADES E BENÇÃOS DO MUNDO, COM UM AMOR DE TIA MUITO BABADA!

PARIS ( Post escrito na última noite em Paris) Estamos a deixar Paris. Esta é a nossa última noite nesta cidade maravilhosa. Já cá t...