segunda-feira, 24 de abril de 2017






SÍNTESE




Pois é! Não há nada como a maternidade, nada me absorverá mais, nada será mais prioritário, nada preencherá mais o meu coração, nada me dará mais gozo e matéria para escrever. Por isso, escrevo tanto sobre vocês e sobre o que significa para mim ter-vos na minha vida. E com isto vivo e desta massa se faz o bolo de vida que tenho, com todos os outros ingredientes de que não prescindo e que a tornam completa e (julgo) feliz. Como um bolo infinitamente doce, no final.
Por ter hoje o coração ocupado com assuntos vossos e ainda não ter conseguido "desocupá-lo", me lembrei do post velhinho, velhinho, Motherhood, esse mundo imenso em que entramos e de onde nunca mais saímos quando somos mães. Essa sensação vitalícia de estarmos sempre presas a alguém que de nós depende e a sensação de termos que levar felicidade e bem-estar, em packs completos de outras coisas que vêm na embalagem também e que fazem parte da vida das mães e dos filhos e dos pais e de todos.
Por isso me lembrei também da galinha gorda com asa grande onde se poderiam esconder à espera que o mundo parasse lá fora, deixasse de ser implacável e não vos importunasse, que bom seria isso assim.
Eu continuo com uma asa grande de galinha gorda. E acho que sempre assim continuarei. Esse será sempre o meu primeiro instinto, o de vos proteger, amparando-vos o golpe, protegendo ora um, ora outro, ora todos. Mas pronto, depois talvez tenha também em mim um interruptor qualquer mental, intuitivo, orgânico, não-sei-o-que-lhe-hei-de-chamar-porque-não-há-palavra-certa-para-ele que me devolve a razão e me faz não perder a lucidez. E me dá outros pontos de análise, outra lente para ver o mesmo. E assim, mais lúcida e de coração (às vezes) menos apertado, lá sigo em frente, respiro fundo e preparo-me para processar tudo, filtrando o que não interessa e centrando-me no essencial. É um exercício isto, pois é, mas o que vale é que sempre tive poder de síntese...
Que assim continue...

PARIS ( Post escrito na última noite em Paris) Estamos a deixar Paris. Esta é a nossa última noite nesta cidade maravilhosa. Já cá t...