sexta-feira, 6 de janeiro de 2017





BIG BROTHER






O blog da Rita Ferro Alvim, SOCORRO SOU MÃE, falava nisto, neste post http://www.ritaferroalvim.com/2017/01/os-controlos-dos-tempos-modernos.html#.WG-Rf1OLTIU.


Isto fez-me pensar... pode ser tentador, mas acho que é altamente preverso. Ter um aplicação no Smarthphone para controlar os filhos a toda a hora? Minuto a minuto? Com quem estão? Onde estão? O que comem, o que bebem? Céus, para além de me parecer horrivelmente chato, acho que é de uma falta de... (até me falta a palavra certa aqui)  concessão de espaço? Privacidade? Ética?
Resolve um problema aos Pais? Não me parece... se calhar arranjam mil outros problemas a seguir. Como farão depois a gestão da ansiedade?
Enfim, a mim parece-me que se deve responsabilizar os filhos sim, por dizer, relatar, dar contas do que fazem (é aliás, a sua obrigação), mas autonomamente, sendo sempre os primeiros agentes daquilo em que se envolvem, sentindo que os Pais supervisionam, cuidam, zelam por..., mas não os substituem, não controlam retirando o ar que se respira, ou o espaço que se pisa. Se assim não for, como se tornarão autónomos? Como crescerão devidamente, ao lado de tudo aquilo que os rodeia e que nem TUDO É BOM?
Pois... Como manterão a capacidade crítica e de filtro? Como equilibrarão responsabilidades e ações?
Pois é, pois é... haja filtro então, e muito! É que senão, perdemos mesmo o norte...