quarta-feira, 4 de janeiro de 2017






BABOSO CORAÇÃO DE MÃE


São diferentes como a água do vinho. De uma, lembro o parto provocado, porque não se decidia a nascer. Da outra, o dia certo previsto e a pressa já desde aí. De uma, lembro a calmaria que era e o tempo que ficava sentada a brincar numa manta de chão com tampas de tupperwares, tampas de panelas e molas da roupa. De outra, lembro o vendaval que provocava e a fila de coisas que ia deitando propositadamente ao chão, à medida que ia passando e do dia em que (quase) se enfiou na máquina da roupa. De uma lembro que tinha que acordar para mamar. De outra, lembro-me os choros cheios de génio irado quando se atrasava para comer. De uma lembro o cedo que começou a falar e o bem que se expressava. De outra, lembro o super cedo que começou a andar e o super cedo que começou a trepar por tudo também. De uma lembro a simpatia imediata que provocava e que recebia. Da outra, lembro o olhar mais fechado, medindo o que a rodeava, auscultando primeiro, para dignar-se a um sorriso depois. De uma lembro o gosto pelo estudo, o método e a organização. Da outra, lembro a rapidez de aquisição, a facilidade, mas o não tão rigoroso primor. De uma lembro a capacidade de análise e ponderação. De outra, lembro as escolhas rápidas, decididas e às vezes impacientes para o que não (lhe) interessa.
Sim, são diferentes como a água do vinho, a doce e a agridoce, disse-me uma vez alguém. Sim, daí o nome deste blogue, como já dizia aqui.
E sem razão nenhuma de especial, apeteceu-me hoje escrever isto, só de olhar para estas fotos...





É que às vezes, os clicks surgem assim, do nada.
Que a maravilhosa diferença que vos distingue nunca vos separe. E à vossa maravilhosa diferença e ao meu baboso coração de mãe, posso juntar mais o vosso irmão. A pitada de canela que me faltava, como esse alguém me disse também. 
Mas para esse, só para esse, valerá outro post... Inteirinho!