terça-feira, 23 de fevereiro de 2016



CARTAS DE AMOR

Ainda não o li. Achei piada ao título e quis, hoje, oferecer-lhes. Sei que é uma coletânea de várias cartas de amor, de vários retratos de amor, ora sereno, ora arrebatado, ora tranquilo, ora louco, mas amor. Provavelmente é um daqueles livros que não se lê como um romance, um épico, ou um policial. Provavelmente é um daqueles onde se vai e se volta quando se quer falar de amor, ou quando se quer ilustrar o tema. Não sei. Não o li ainda, mas apeteceu-me oferecer-lhes.
E foi isto que lhes escrevi como dedicatória:

"Achei piada ao título. Muitas mais "grandes cartas de amor" haverá, muitas outras que não estão aqui. A maior de todas, que seja a vossa, aquela que puderem, um dia, na vossa vida, escrever. E se assim for, seja  o vosso amor como for, que o possam e queiram oferecer, com ternura em letras e amor em palavras. Será a mais bela de todas, essa carta, porque vossa para o outro, que escolheram para vós.
É sim, há coisas que só passam de moda se nós deixarmos. As cartas de amor são uma delas."
1 bj às duas,
A mamã.
23/2/2016




PARIS ( Post escrito na última noite em Paris) Estamos a deixar Paris. Esta é a nossa última noite nesta cidade maravilhosa. Já cá t...