quarta-feira, 21 de março de 2018






MEMÓRIAS






Por circunstâncias várias, dei comigo hoje a explorar gavetas da casa da minha mãe. Recordações soltas, imagens várias, fotografias de tantas partes da nossa vida.
Já não me lembrava desta. Sempre a adorei e tinha-lhe perdido o rasto, no meio das dezenas e dezenas e dezenas de fotografias que se vão tendo, ao longo da vida. Já não há álbuns, como havia, físicos, de papel, que se folheiam e levam debaixo do braço e, no meio da dispersão digital, mais ou menos organizada, esta perdeu-se. Hoje reencontrei-a sem querer. E  a memória fez o resto.
Lembro-me perfeitamente do dia feliz em que foi tirada. Estava um frio de morte, mas tu, foi na rua que quiseste brincar, como sempre.
E de repente, vi que se passaram mais de 10 anos desde este foto. E de repente achei que não dei por esse tempo a passar. E de repente lembrei-me que sim, já és o mais alto cá de casa e que a tua irmã mais velha já faz 21 anos e a outra, 18. E de repente dei por mim a pensar que não sei como isso aconteceu...

Eh pá!!! Vou ali respirar fundo e já venho!!!!