quarta-feira, 16 de agosto de 2017




PARIS

(Post escrito na última noite em Paris)

Estamos a deixar Paris. Esta é a nossa última noite nesta cidade maravilhosa. Já cá tinha estado com um grupo de amigos, no verão de 2003, sem filhos comigo e com o mais novo na barriga. Lembrava-me, por isso, de muita coisa, dos sítios principais e do espírito cosmopolita que a cidade tem. Agora vim com o mais-que-tudo e os nossos três filhos, de 19, 17 e 13 anos. O espírito é completamente outro. Sei que com estas idades aproveitam de outra forma, partilham o que se vai apreendendo da História que se aprende na escola, complementam, opinam, sugerem e fazem render a viagem de uma forma muito mais eficaz. Quintiplicam os custos? Ah sim, concerteza, mas sem dúvida tambem, comem qualquer coisa, em qualquer sítio, a qualquer hora. Andam kilometros a pé, porque assim "é que se conhece". Reconhecem as várias línguas que se ouvem por todo o lado e absorvem como esponjas esta aula ao vivo de cultura geral. Por isso gostei de vir com esta minha "pequena família numerosa". Gostei de ir aos sítios da "praxe", tirar as 300 fotos de ângulos diferentes. Gostei de ver a cidade (também) com os vossos olhos. Gostei de lembrar capítulos de alguns livros, ou cenas de alguns filmes que falam de Paris e eu agora ali, no sítio certo da tal cena, ou capítulo difícil de esquecer. Gostei do empregado do café vestido a rigor. Gostei das margens do Sena cheias de gente a passear. Gostei dos monumentos e dos cafés, das esplanadas e das ruas e dos croissants, do sumptuoso da monarquia que a república tão bem soube aproveitar, gostei dos museus e da arte, das famílias de bicicleta na rua, das tantas nacionalidades diferentes que se vêm por todo o lado, do sol sem muito calor e da chuva miúda a cair. Gostei, gostei muito. Gostei dos 5 juntos, como gosto em todo o lado, das diferenças que se sentem entre nós, mas do complemento em que acabam. Um complemento prático, funcional e  bem resolvido, mesmo em francês.  
Gostei de Paris e pronto. 
Et ce qu'il est!

E aqui vão as fotos, pois então, não as 300.000, mas as possíveis... 




















































































































































































































     






Sem comentários:

Publicar um comentário