segunda-feira, 22 de maio de 2017






SÁBIA NATUREZA





Dizia-te que, por estes dias, tenho que te dividir com tudo aquilo que há para fazer e tudo aquilo que acontece que te afasta de mim. Pressas, correrias, problemas, episódios de vida real que nos chamam à terra, factos e ocorrências que nos tornam pessoas de carne e osso e não príncipes e princesas de historias de encantar.( E ainda bem, isto. Sempre achei as princesas das histórias um bocadinho desenxabidas demais, sempre loiras e frescas e lindas e perfeitas e os príncipes, já agora também.). 
Que há dias em que essa distância me sabe bem e desafoga, porque há vida para além de mim e de ti (e ainda bem) e que há outros dias, em que me aflige, porque tenho saudades tuas e porque sei que me complementas, porque te sinto a falta e porque tenho saudades de nós, das nossas coisas e daquele espaço e tempo só nossos, com regras que criamos e momentos que impomos, com uma felicidade que queremos e um projeto que abraçamos. 
Que tenho que assistir ao nosso partir ao meio, vergados por tanta logística de vida real e ver se, no fim de tudo, continuamos inteiros e incólumes. 
E depois vejo que, num golpe de sábia natureza, tudo se compõe. Sem nada de especial, sem nenhum feito histórico, ou episódio marcante. Só porque sim, num ritmo sábio e contínuo, tudo torna a ocupar o seu lugar e aparecemos aos olhos um do outro como uma escolha de entre mil.
Sabe-me bem que sejas uma escolha de entre mil. Não porque tenham havido mil, mas porque a minha escolha te tornou único. 

LUV U!

  LEITE DERRAMADO Já estou submersa, naquela fase do meu trabalho em que só vejo papéis à minha volta e em que sinto que tenho ...