segunda-feira, 18 de julho de 2016





FÉRIAS DE SONHO

E as férias quase, quase a chegar. A espreitarem à portinha de uns dias que não tardam aí e com elas, as férias, vêm-me ao pensamento, claro, ideias de destinos idílicos contigo, onde pudéssemos namorar sem destino, descobrirmo-nos a toda a hora, falar, conversar, ouvir, curtirmo-nos um ao outro, revendo no outro aquilo que nos encantou e encanta, embalados por comodidades que o dinheiro pode pagar e que se traduzem por pouca tralha, poucos planos, pouca logística, elementos sempre pesados quando se projectam sonhos e planos.
Pois é! Mas depois lembro-me do dinheiro que não temos para isso, da lista de prioridades agendadas para ontem, de terceiros e quartos e quintos que dependem de nós e nos impossibilitam de fugir desta rede apertada que se chama A NOSSA VIDA, das datas e prazos de agenda, de, de, de... E logo me vêm à mente, os milhares de recantos que conhecemos por aqui e que nos devolvem, se quisermos esta magia dos sítios de sonho. Lembro-me dos segredos partilhados em sítios e espaços com nomes só nossos, lembro-me da fortaleza de um amor chamado NOSSA VIDA que nos deu e dá tanto, tanto, tanto. Lembro-me do que sei ser verdade, de que os sítios de sonho somos nós que os fazemos e que de sonho nada teriam se não tivéssemos nós antes, tantos elos fortes assim, lembro-me de uma vida que corre ao nosso lado e da capacidade que temos tido de a renovar e fazer encantar. Lembro-me de quinhentos mil argumentos que poderiam rebater e sustentar a não ida para sítios de sonho.  E pronto, esta certa-nostalgia-parva-que-sinto-às-vezes-e-que-me-faz-questionar-o-que-não-tenho, passa-me logo, sem dar tempo e/ou energia para se fundamentar, como um mecanismo quase físico de defesa e imunidade e por isso fico bem, ótima, tranquila e feliz.
É que as férias estão mesmo aí e serão de sonho, se eu quiser.... Contigo!



  LEITE DERRAMADO Já estou submersa, naquela fase do meu trabalho em que só vejo papéis à minha volta e em que sinto que tenho ...