sábado, 26 de março de 2016



SEGURO E CERTO
(como o mar)


E às vezes não há muito mais a dizer, nada de novo, insólito, magnífico, ou ultra, mega especial. Às vezes, não se sente tudo a mil, como as paixões recentes e dignas de livro, ou filme.
Às vezes é também só isto, o tirar selfies parvas, em cima de uma falésia qualquer. 
Faz parte do normal que nos envolve e acredito que isto baste... Tem que bastar e suster e revalidar.  Seguro e certo como o mar que nos envolve lá atrás.
É isto.