domingo, 17 de setembro de 2017





CONSISTÊNCIA

(afinal, é uma palavra gira...)





Hoje dizia a uma amiga que não me coíbo, muitas vezes, de me mostrar em desacordo contigo. Sim, temos em muitas ocasiões, opiniões diferentes sobre as coisas, embora os anos de vida em comum me tenham vindo a mostrar que, na maior parte dos casos, o desacordo é na forma, timming, ou maneira de reagir, mais do que na essência, âmago, ou tutano. Incomoda-me a concordância total em todas as circunstâncias. (Suscita-me dúvidas, pelo menos...) Incomoda-me que, por sermos um casal, se ache que devemos estar sempre 300% de acordo, de forma absoluta, em tudo. Não sou assim. Sou reivindicativa, opinativa e segura de mim. Sou filha da emoção, como alguém querido me dizia há dias e, por isso, sinto tudo à flor da pele e digo tudo em turbilhão, ao contrário de ti, que és frontal, mas sereno, racional e ponderado. Penso que procuro não ser obtusa e tento apurar todos os sentido em busca de sinais, feelings, intuições, que me vão dando a capacidade de discernimento e de encaixe, também para sentir-te e perceber-te. E sinto-te e percebo-te tão bem, com tanta clareza e com tanto orgulho, mesmo quando às vezes me irritas, porque és tão diferente na forma de reagir. Somos imensamente diferentes, mas maravilhosamente complementares, será?
Dizia a essa amiga que, se calhar, é isso que nos torna encantadores, ou se calhar é esse o encantamento que sinto, se calhar é essa cumplicidade de corpo e de alma, com tantos anos de vida, que nos faz descortinar as entrelinhas do outro e então, perceber melhor o que se passa e que, à primeira vista, nos faz discordar tanto. À primeira vista, para olhares menos atentos...
A isto que se passa connosco se chamará, entre outras coisas, consistência. E então, quando por acaso nos mostram, este vídeo, fortuito, da Net, a palavra consistência, que é formal e nada parece ter de interessante, ou pelo menos nada parece ter a ver com este contexto, torna-se, assim como que, exatamente naquilo que se quer dizer.
E digo-te, um amor consistente, traz consigo tanta coisa boa e dá-nos uma salvaguarda tão grande, que é o melhor que se pode pedir.
LUV U!